Homenagem Póstuma

Valdelírio Nunes de Souza (Papeleiro Chicão)

 

Carinhosamente conhecido como Papeleiro Chicão, Valdelírio Nunes de Souza trabalhou por mais de 30 anos com a venda de papel para reciclagem. Uma forma de garantir a sua sobrevivência e da esposa, além de ajudar o Meio Ambiente com a separação e destinação correta do lixo. Natural de Capinzal, seu Chicão mudou-se para Passo Fundo aos sete anos de idade, onde foi funcionário de algumas empresas até que resolveu se dedicar à reciclagem.

Outra ação que tornou o Papeleiro Chicão conhecido em toda região, foi a solidariedade e uma biblioteca em sua casa, com mais de 12 mil livros, todos encontrados e resgatados do lixo. O Papeleiro viveu e trabalhou com sua esposa em um galpão onde implantou um espaço para reciclagem dos materiais que coletava e recebia. Não bastasse isso, encontrou tempo para praticar atos de solidariedade, recolhendo e doando o que podia aos mais necessitados do Bairro Zacchia, além de realizar festas para crianças em datas especiais, como no Dia das Crianças e Natal.

No ano de 2015, Valdelírio Nunes de Souza foi homenageado pela Câmara Municipal de Vereadores de Passo Fundo onde recebeu a Medalha Grão Mérito Fagundes dos Reis pelos serviços prestados à comunidade, serviços estes, que farão seu Chicão ser inesquecível na vida de centenas de crianças e adultos passo-fundenses. Com problemas de saúde e debilitado, o Papeleiro Chicão não resistiu, e em novembro de 2016 faleceu aos 72 anos de idade devido às consequências de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).
Valdelírio Nunes de Souza, ou simplesmente Papeleiro Chicão, estará eternizado para sempre na memória de quem pôde, mesmo que por poucos momentos, aprender com sua história de vida, conhecer sua trajetória ou receber um brinquedo em uma data especial.

“O homem com gestos de ternura, que mudou olhares sobre as coisas mais valiosas do mundo, não morreu, apenas foi morar em outro lugar. Ele continuará presente no coração de quem teve a sorte de conhecê-lo.” Andressa Zorzetto